Portal do Governo Brasileiro
English(UK)Português
Instagram
Facebook

A professora e pesquisadora Mônica Cristina Teixeira, do Departamento de Farmácia da UFOP, ao lado das alunas Alcylane Caldeira Santos (que também é servidora técnico-administrativa da UFOP) e Carla Silva Fernandes, mestrandas do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental (ProAmb), publicou um artigo científico acerca dos resultados que a contaminação de arsênico já trouxe e ainda poderá trazer ao contexto ambiental do Brasil. Publicado na Science of The Total Environment (Volume 730), uma conceituada revista de divulgação científica multidisciplinar, o material contou também com a colaboração de Jack Chakmeng Ng, professor e pesquisador australiano da Universidade de Queensland.

O artigo apresenta-se como uma organização de documentos divulgados nas últimas décadas que relatam a contaminação por arsênico no Brasil. A publicação tem como objetivos compilar dados disponíveis em português e outras línguas (como análises geográficas, geológicas, geoquímicas, ambientais e referentes à saúde humana) e gerar uma análise crítica de tais dados, intencionando comparações entre eventos de contaminação antigos e recentes, assim como o destaque de lacunas de informações relevantes às futuras pesquisas da área de conhecimento.

Ao analisar a contaminação por arsênico em solos, sedimentos e fontes de água das regiões Norte, Sul e Sudeste, os pesquisadores demonstram que o cenário de contaminação não resulta apenas da mineração, mas também de outras ações antropogênicas, as quais resultam em eventos de grande magnitude, como inundações, erosão, deslizamentos de terra e escassez de água. A pesquisa encontrou concentrações elevadas do contaminante em materiais geológicos e amostras de água, principalmente do Quadrilátero Ferrífero, região centro-sul de Minas Gerais com intensa atividade mineradora.

Considerando os grandes riscos à saúde ambiental e humana trazidos pela contaminação do arsênico, o estudo aponta a obrigatoriedade de monitoramento constante das áreas contaminadas no Brasil, na intenção de permitir que os erros cometidos no passado não sejam reproduzidos no futuro.

Confira o artigo completo aqui.

Mapa de Convênios



A UFOP, através da DRI, possui convênios com diversas instituições ao redor do mundo, muitas das quais oferecem oportunidades de parcerias e mobilidades acadêmicas.

Depoimentos

Max Pedro da Silva

Curso: Arquitetura e Urbanismo
Universidade de Destino: Parsons The New School For Desing - Estados Unidos